1. O que é o Líquor?

O líquor (LCR), também conhecido como líquido cefalorraquiano, é um fluído corporal transparente, incolor e límpido. Popularmente conhecido como líquido da espinha, é produzido nos ventrículos cerebrais do nosso Sistema Nervoso Central (SNC) e ocupa um espaço no cérebro e na medula espinhal. Extremamente importante para pesquisa de doenças encontradas no Sistema Nervoso Central.



2. Quais doenças encontradas no Líquor?

Desde o final do século XIX a analise do liquido cefalorraqueano vem sendo significativamente importante para o diagnóstico de doenças do Sistema Nervoso Central, entre elas: meningites, hemorragias, doenças inflamatórias, doenças neoplásicas, doenças desmielinizantes, Esclerose Múltipla, Leucemias, Linfomas, entre outras.



3. Qual o preparo do paciente para o exame?

Não há preparo específico para o exame de líquor. O paciente deve estar alimentado e acompanhado.



4. Como é feita a coleta do Líquor?

Existem três maneiras clássicas para punção (coleta) de amostra de LCR para análise laboratorial. As mais utilizadas na rotina de neurodiagnóstico são a lombar (nas costas) e a suboccipital (na parte ínfero-posterior da cabeça) ou cisternal (na região da nuca).

Em nosso serviço optamos pela punção lombar como primeira opção por recomendação da Academia Brasileira de Neurologia (ABN).



5. A punção é dolorosa?

A punção geralmente dói pouco, semelhante à dor da coleta de sangue, sendo que a maioria das pessoas costuma dizer que é suportável e que, após a coleta, dizem que achavam que iria doer mais do que realmente doeu.

A dor varia muito de pessoa para pessoa. Depende da sensibilidade de cada um.

É geralmente um exame rápido que dura poucos minutos, quando realizado por médicos experientes como os do Líquor Laboratório Clínico Nagib Sallum.



6. Quais os riscos relacionados ao exame?

Quando realizado por um médico experiente, a punção lombar não provoca riscos de lesão de veias, artérias ou medula vertebral.



7. Quais as complicações do exame?

Cerca de 10 a 30% dos pacientes podem sentir dores de cabeça e/ou nas costas. Dormências passageiras e dor local também podem ocorrer.

A dor de cabeça que às vezes ocorre piora ao levantar-se e melhora ao deitar-se no leito sem travesseiro.



8. Quais as recomendações para depois do exame?

Para se evitar a dor de cabeça após a coleta o paciente deve ir para sua casa, permanecer em repouso, deitado por no mínimo 24 horas, sem travesseiro, de preferência na posição de barriga para baixo.

Se precisar levantar deve fazê-lo de maneira suave com o mínimo esforço e pelo menor tempo possível, apenas para as necessidades básicas.

O paciente deve hidratar-se bem, muito líquido à vontade (água, sucos, refrigerantes, café, etc.). A alimentação é normal, se possível no leito.

O repouso e a hidratação são muito importantes.

Caso apareça dor de cabeça, o paciente deve manter-se em repouso por mais 48 horas.



Nosso Laboratório permanece 24 horas a disposição para orientar e esclarecer qualquer duvida que desejarem.




Voltar     Home